sexta-feira, abril 07, 2006

PROJETO CORPO SARADO


Aqui está o resumo do projeto que resultou no livro "Corpo Sarado, Uma Aventura na Vila Olímpica". Na verdade está bem resumido mesmo, pois este projeto foi bem grande e cheio de detalhes, mas por aqui dá para se ter uma idéia.

PROJETO CORPO SARADO

Foi realizado um trabalho baseado projeto 'CORPO SARADO' proposto pela escola em parceria com Vila Olímpica.Resolvi lançar mão dos recursos de mídia para desenvolver o trabalho.Após muitas conversas sobre hábitos de higiene, prevenção de doenças e a importância da atividade física para um corpo saudável, ficou decidido que faríamos uma pequena reportagem com entrevistas para saber dos professores da Vila Olímpica como o esporte pode contribuir para a formação do corpo sarado.A turma foi dividida em seis equipes de reportagem, cada uma com três elementos.Primeiro decidimos quem faria o quê: fotografia, entrevista e operação de áudio. Depois escolhemos os professores entrevistados. Partimos então para a Vila Olímpica portando uma câmera fotográfica, um rádio-gravador com microfone embutido e a folha com as perguntas.Os alunos entrevistaram e manusearam os equipamentos com grande entusiasmo.Após a revelação das fotos, audição da fita gravada e digitação do trabalho, os alunos fizeram produções de textos, cada um relatando o que significou para eles a participação nesta experiência. Como os alunos gostaram muito do trabalho, resolvemos expandi-lo. Passaram então a entrevistar os professores do CIEP e outros funcionários como a diretora e coordenadora pedagógica da Vila Olímpica.Fizemos uma exposição das fotos e entrevistas no CIEP.Resolvemos ousar um pouco mais e partimos para as oficinas de produção coletiva de um livro de ficção onde os cenários da história fossem o CIEP e a V.O.


OBJETIVOS

-Conscientizar os alunos da importância da atividade física
-Levá-los a conhecer e a utilizar equipamentos normalmente usados pela mídia
-Trabalhar a leitura e a oralidade
-Valorizar o trabalho em equipe
-Incentivar a produção de texto com o relato da experiência

PROJETO BRINCAR NA RUA


BRINCAR NA RUA

Tarde?
O dia dura menos que um dia.
O corpo ainda não parou de brincar
E já estão chamando da janela:
É tarde.
Ouço sempre este som: é tarde, tarde
A noite chega de manhã?
Só existe a noite e seu sereno?
O mundo não é mais depois das cinco?
É tarde.
A sombra me proíbe.
Amanhã, mesma coisa.
Sempre tarde antes de ser tarde.

(Carlos Drummond de Andrade)


BRINCAR NA RUA (PROSA)
Era uma vez umas crianças que adoravam brincar na rua.Eles jogavam bola, soltavam pipa, pulavam corda, amarelinha,pique, todas as brincadeiras que se possa imaginar...Só que todos os dias, quando a brincadeira começava a ficar legal...Apareciam as mães dizendo: é tarde, está na hora de ficar em casa. O jeito era entrar e esperar pelo dia seguinte!

APRESENTAÇÃO
Foi feito um trabalho para celebrar o centenário de Carlos Drumond de Andrade com Educação Infantil de maneira acessível e agradável, tendo em mente que o objetivo principal não é fazer uma profunda reflexão sobre a vida e a obra do autor, já que a faixa etária não permite, mas introduzí-los gradativamente no mundo da poesia para que desde já , comecem a familiarizar-se com a linguagem poética.O uso do gravador para que os alunos ouvissem a própria voz foi feito, primeiro com o objetivo de quebrar a barreira da inibição para que depois fossem entrevistados com perguntas formuladas dentro do contexto da poesia "Brincar na Rua". Nessa atividade também foi possível trabalhar a identidade, já que cada um ouvia e percebia a sua própria voz, bem como no fato de fotografá-los brincando para que percebessem cada um a sua imagem.Usando um texto em prosa para que pudessem entender melhor o significado da poesia e registrar suas falas criando uma produção de texto coletivo, fechou-se a questão da convergência de mídia, com a criação de um pequeno livro.Com seus desenhos e pinturas expostos na sala de aula bem como o texto original de Drumond e a prosa baseada na poesia, o trabalho foi concluído com a consciência de que houve efetiva participação, envolvimento e inclusão de cada aluno da turma.

OBJETIVOS
-Oportunizar aos alunos os primeiros contatos com a linguagem poética apresentada no texto deDrummond
-Resgatar as brincadeiras infantis como um dos aspectos da cultura popular
-Ressaltar a importância do respeito aos limites impostos pelos pais
-Estimular a expressão artística através da pintura a partir do tema proposto: brincadeira de rua
-Trabalhar a identidade apresentando equipamentos utilizados pela mídia ( gravador, câmera fotográfica, livro).

DESENVOLVIMENTO:
Em primeiro lugar, apresentei-lhes a poesia de Carlos Drummond, dizendo-lhes que a poesia é um jeito diferente e mais bonito de dizer alguma coisa. Falei-lhes superficialmente sobre a vida de Carlos Drummond e que em 2002 seria celebrado o centenário de seu nascimento. Como eram alunos muito pequenos, criei um texto em prosa para que entendessem melhor a poesia. Depois pedi a eles que recontassem oralmente a história e registrei em um bloco criando assim um texto coletivo. Os alunos também fizeram desenhos para ilustrar a história e os expusemos em sala de aula.No dia seguinte com o auxílio de um rádio-gravador, entrevistei-os perguntando nome, idade, se brincam ou não na rua e por que. Os alunos adoraram a atividade, alguns ficaram tímidos, mas aos poucos iam perdendo a inibição. Ficaram entusiasmados ao ouvir a própria voz no gravador.Fizeram pipas de recorte e colagem e depois as decoraram com cola colorida e colocamos no mural.Em seguida levei-os ao parquinho e ensinei-lhes algumas brincadeiras de rua que atualmente quase não se usam mais. Depois os fotografei brincando e após revelar as fotos, coloquei-as no mural.Também fizeram colagem, um mosaico com papel glacê dentro de um círculo, simbolizando uma bola. Para terminar, fiz uma associação do poema com a música do grupo molejo “Brincadeira de Criança”, criei uma coreografia e os alunos apresentaram para toda a escola.