terça-feira, fevereiro 10, 2009

PROJETO: “PREVENÇÃO SIM, DENGUE NÃO!”






JUSTIFICATIVA:

Diante da constante necessidade de conscientização da população a respeito da prevenção da Dengue, principalmente em um momento em que a cidade atravessa uma fase de epidemia da doença, decidimos abraçar a proposta da SME que todos os anos sugere trabalhos educativos sobre o tema.
Por conta da baixa faixa de idade das crianças da creche, procuramos fazer um trabalho apoiado na ludicidade, para que a consciência fosse despertada de forma prazerosa e divertida. A proposta de trabalho foi estendida aos responsáveis por meio de campanhas e uma culminância com apresentação dos trabalhinhos das crianças e uma mídia de VCD, onde aparecem além de fotos das crianças, imagens ligadas ao tema.


OBJETIVOS:

• Conscientizar as crianças sobre a importância da prevenção contra a dengue;
• Motivá-las a transmitir à família e à comunidade em que vivem os conhecimentos adquiridos na creche;
• Reconhecer os sintomas da doença e maneiras de evitar a proliferação do mosquito transmissor.
• Mostrar às crianças que a prevenção da doença é uma responsabilidade coletiva e que cada um precisa fazer a sua parte.



RECURSOS:
Histórias, conversas, músicas, recorte/colagens, pinturas, fotografias, modelagens com argila, dramatizações, rádio-gravador, apresentações do palhaço Pipoca e produções coletivas de texto e visuais.
DESENVOLVIMENTO:

O projeto foi lançado aos educadores da creche após uma reunião onde foram oferecidas diversas sugestões de atividades. Foram utilizados inúmeros recursos, como histórias, apresentações do palhaço Pipoca, muitas conversas nas rodinhas das turmas e técnicas de pinturas, recortes, músicas, modelagem em argila, visitas ao laboratório de informática da E. M. Ana de Barros Câmara, dramatizações, etc.

Em cada turma houve uma adequação ao perfil e à faixa etária para que o trabalho fosse desenvolvido de forma eficiente. As crianças em todo o tempo eram incentivadas a socializar em casa as informações adquiridas na creche tornando-se assim multiplicadoras na campanha contra a dengue.

O projeto culminou com uma exposição de trabalhos das crianças, além de apresentação da música da campanha e exibição de um vídeo onde aparecem os trabalhinhos dos alunos e mensagens de conscientização. Na ocasião fizemos distribuição de folders explicativo dos sintomas da doença e forma de preveni-la.

PROJETO “SEMEANDO SONHO E PAZ, COLHENDO AMOR E ALEGRIA”.



APRESENTAÇÃO:

Um espaço no terreno da creche e um pouco de terra. Uma recreadora dedicada e disposta a aprender algumas técnicas de plantio e se responsabilizar pela horta. Assim a creche Zilka Salaberry aderiu ao projeto da prefeitura do rio de Janeiro, o Projeto Horta nas Escolas. O primeiro passo foi inscrever a recreadora Janduir em um curso oferecido pela fundação Rio hortas onde ela pôde aprender técnicas de jardinagem. A partir daí, desenvolvemos algumas sugestões de atividades e os recreadores com sua criatividade foram criando várias outras e adaptando cada uma ao perfil de suas turmas. O resultado foi o projeto “Semeando Sonho e Paz, Colhendo Amor e Alegria”.



JUSTIFICATIVA:

As crianças atualmente têm tido pouco contato com a natureza. Sabemos que as crianças em geral gastam grande parte do seu tempo em frente à televisão, computador, vídeo game. Sem negar a importância de tais atividades, ressaltamos que paralelamente há uma grande necessidade de levar ao conhecimento das crianças o prazer do contato com a natureza.
As atividades da horta levam a criança a observar as fases de desenvolvimento das hortaliças, técnicas mais simples de plantio e colheita além de conhecer e acompanhar a vida e movimentação de pequenos animais que habitam esse espaço.
Essas atividades fazem a criança descobrir o prazer de mexer na terra e a satisfação de ingerir alimentos dos quais participaram ativamente do processo plantio/cuidados/ colheita.
A horta na creche tem por finalidade humanizar as relações das crianças com a natureza, ampliando suas experiências e conhecimentos sobre ela, já que muitas vezes estas relações se limitam às telas da televisão e do computador.


OBJETIVOS:

• Levar as crianças a um contato maior com a natureza;
• Humanizar as relações da criança com o ambiente por meio deste contato;
• Apresentar às crianças todo o processo pelo qual o alimento passa desde o plantio até a mesa;
• Despertar o interesse pelas formas de vida que habitam o espaço da horta.

ATIVIDADES:
:
• Histórias
• Levar a terra para a sala de aula para que as crianças manuseiem;
• Observar a horta pela janela da sala de aula;
• Sentir a textura das folhas;
• Plantar feijão (ou outras sementes) no potinho de iogurte;
• Visitas à horta em pequenos grupos, orientados pelo recreador;
• Confecção de árvores, com papéis de vários tipos ou folhas naturais;
• Pesquisar folhas na horta e fazer comparações do tipo maior/menor, verde claro/verde escuro, liso áspero, etc.
• Fazer colagens com as folhas;
• Plantar verduras e legumes na horta (tomate, verduras, batatas, cenouras, etc.)
• Simular colheitas de bananas.
• Pesquisar a vida de pequenos animais da horta.


Obs:
• As visitas à horta deverão compor parte do horário da recreação, pelo menos duas vezes na semana, para as turmas EI-30 e EI-31, sendo que nas duas primeiras semanas as visitas serão mais freqüentes, por se tratar de pequenos grupos.
• As turmas EI-40 e EI- 41 visitarão a horta no horário da tarde, antes das oficinas.
• As oficinas deverão seguir o tema “horta” o máximo possível.

DESENVOLVIMENTO:

As atividades desenvolvidas no projeto estão anexadas ao PPP.


CONCLUSÃO:

Cada recreador, orientado pela professora articuladora e também de acordo com a criatividade de cada um, desenvolveu atividades com sua turma.
As atividades na horta tornaram-se rotina permanente fazendo parte do dia a dia da creche, independente de se falar em projeto. Para a culminância do atual projeto, fizemos muitas fotos e um VCD. Hoje as crianças já colhem os alimentos que muitas vezes são utilizados no preparo da merenda.




“Os que semeiam com lágrimas, ceifarão com alegria.” (Salmos: 126:5)

PROJETO “DE MÃOS DADAS COM A IMAGINAÇÃO”


Apresentação:

A clientela é formada de crianças na faixa de zero a quatro anos. Além de cuidar e educar, temos a missão de fazer da brincadeira e diversão, partes integrantes do dia a dia da creche. Com o intuito de explorar intensamente a ludicidade, aproveitando que nossas crianças estão em plena fase de descobertas, apresentamos a elas um personagem: o Palhaço Pipoca. Com ele as crianças mergulham de cabeça nos sonhos e vão a todos os lugares onde a imaginação fértil e ingênua pode levar.

O palhaço Pipoca está presente em todos os momentos importantes na vida da creche. A cada tema trabalhado, a cada assunto apresentado, a cada item do currículo da educação infantil, em todos os momentos da rotina das crianças, está o nosso personagem.

Tudo começou com a ação isolada de um recreador na sua sala de aula. Utilizando-se do momento de contar histórias, ele encarnava o palhaço e apresentava às crianças os contos de fadas, as fábulas, histórias infantis... Além disso os alunos eram encorajados a dramatizar as histórias contadas pelo amigo palhaço. O resultado foi brilhante. Tanto que resolvemos estender as apresentações a todas as turmas da creche. Outros recreadores foram incentivados a abraçar o projeto. Toda a creche se viu envolvida no trabalho. O sucesso foi tamanho que nos permitimos um desafio ainda maior: ultrapassar os muros da creche e apresentar o nosso personagem em outras creches nas imediações próximas à nossa. A participação dos nossos alunos como ajudantes do Pipoca torna o trabalho mais convincente e atraente aos que assistem. Também torna mais agradável aos que participam. A participação das crianças é a tônica de todas as atividades desenvolvidas para o palhaço Pipoca, mesmo das crianças que estão na platéia.

O Palhaço Pipoca trouxe à creche um ingrediente a mais: um convite ao exercício pleno da imaginação infantil, direito de todas as crianças.



Justificativa:

Percebemos que as crianças demonstram grande interesse por histórias e têm prazer em manusear livros. O interesse por essas histórias não se limita a ouvi-las, mas também contá-las, dramatizá-las, vivenciá-las.

É também notório que muitas destas crianças têm pouco ou nenhum contato com literaturas e manuseio de livros fora do ambiente da creche. O hábito de ouvir histórias nem sempre é trazido de suas casas, mas descoberto e adquirido na creche.

Sendo assim foram criadas atividades em que toda essa curiosidade e interesse fossem satisfeitos da forma mais lúdica e prazerosa possível. Essas atividades foram desenvolvidas a partir do trabalho do recreador de uma turma de maternal.

Inicialmente o recreador desenvolveu o trabalho com sua turma apenas, mas devido aos resultados altamente positivos, decidimos estende-lo a toda a creche, inclusive aos berçários.



Objetivos:

• Incentivar o interesse pela audição de histórias;
• Desenvolver a criatividade através da solicitação de criação de histórias ou finais diferentes e modificações para as já conhecidas;
• Trabalhar a atenção e a concentração das crianças por meio das dramatizações improvisadas;
• Aumentar ainda mais a curiosidade e o interesse por livros criando assim o desejo de aprender a ler e escrever.
• Promover uma integração maior, tanto entre as crianças da creche quanto com as de outras creches e escolas das imediações.





Recursos:


*Cartazes
*Figurinos e máscaras para dramatizações
*Fantoches
*Livros
*Brinquedos




ATIVIDADES

*Imitando os animais
-Desenvolvimento: O palhaço Pipoca apresenta livros com gravuras de animais e pede para as crianças imitarem os gestos e as vozes dos animais. Os alunos formam um círculo para iniciar a brincadeira.

*Caixinha de surpresa
-Desenvolvimento: O palhaço Pipoca mostra às crianças uma caixa e faz a pergunta: “O que vocês acham que tem dentro desta caixa?”
Em seguida as crianças imaginam o que há no interior da caixa. Lá haverá várias tarefas para que as crianças cumpram.

*Expressão corporal
-Desenvolvimento: O palhaço Pipoca ao som de uma música começa a movimentar o corpo e pede para as crianças ficarem de pé. Em seguida pede às crianças para repetirem os movimentos, fazendo tudo o que o palhaço fizer.


Desenvolvimento:

O recreador caracterizado com uma fantasia, interpreta o Palhaço Pipoca, contando com um ajudante do maternal II, o “Pipoquinha”. Em algumas atividades o pipoquinha fica escondido em uma enorme caixa de papelão de onde sai para surpreender os coleguinhas, principalmente os bebês do berçário.
O recreador também possui uma mala de surpresas onde coloca um conteúdo diferente a cada dia. Um dia livros, outro cartazes, outro ainda brinquedos e objetos variados. As crianças nunca sabem o que está dentro da mala. O palhaço pede às crianças que retirem os objetos da mala e a partir daí são criadas diversas histórias criadas pelas crianças orientadas pelo recreador.

Em outro dia o recreador leva figurinos e máscaras ás salas de aula para dramatização e incentiva as crianças a ouvir e encenar as histórias.

No dia do fantoche e marionete, o recreador usa estes materiais como recursos para contar histórias ou provocar a criação de uma história inédita pelas próprias crianças.

Os livros são utilizados da seguinte forma: o recreador pede a uma criança que escolha um livro e em seguida lê a história para a turma, podendo dramatizar também.

Ao trazer um brinquedo ou objeto o recreador cria junto às crianças uma história para encena-la em seguida. Também podem conversar sobre o objeto, pra que serve, d que é feito, etc.

O recreador conta com a ajuda de crianças que são seus assistentes durante o desenvolvimento das atividades e estimula a participação das outras o tempo todo.

PROJETO “ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL...POR UMA VIDA MAIS COLORIDA!”


APRESENTAÇÃO:


Os hábitos alimentares do povo brasileiro têm se modificado e isso tem trazido graves conseqüências para a saúde como, obesidade, diabetes, altas taxas de colesterol, hipertensão arterial, doenças cardíacas entre outras. Resolvemos então trabalhar a sugestão da SME com nossas crianças e comunidade.
Por se tratar de crianças com a faixa etária muito baixa, procuramos simplificar ao máximo as atividades, partindo do lúdico na maior parte do tempo.
Houve um envolvimento de toda a creche,desde o berçário I, onde há crianças de 0 a 18 meses até o maternal II, cuja faixa etária é de 3 até 4 anos.


OBJETIVOS:


*Incentivar os alunos a consumirem alimentos essenciais para que seu desenvolvimento ocorra de forma saudável;
*Fazer com que os alunos reconheçam as frutas,legumes e verduras;
*Alertá-los de forma lúdica e agradável para os riscos do consumo exagerado de doces, balas, refrigerantes e lanches;
*Apresentar à comunidade reciclagem de alimentos como uma forma de alimentação saudável alternativa e econômica;
*Envolver toda a comunidade escolar no processo de formação de hábitos alimentares saudáveis.



DESENVOLVIMENTO:


Para cada grupo(frutas,legumes e verduras) separamos uma semana específica.
Durante a semana das frutas, estas foram enfocadas de várias formas, por meio de histórias, joguinhos, músicas. Da mesma forma os legumes e as verduras foram apresentados.
Também foram utilizadas técnicas de pintura, modelagem, desenhos e confecção de cartazes. As atividades foram fotografadas,bem como as crianças participando das refeições. As fotos foram aproveitadas para a criação de um VCD com uma propaganda sobre alimentação saudável. O vídeo foi apresentado às crianças. Nessa atividade, trabalhamos a importância de uma alimentação saudável e também a identidade dos alunos que gostaram muito de ver suas fotos no vídeo.
Além disso durante todo o projeto, procuramos ressaltar a importância dos alimentos saudáveis e seu consumo habitual,mostrando que o consumo de balas, doces,lanches, biscoitos, refrigerantes, etc,deve ser eventual e equilibrado.


RECURSOS:


CD, DVD, rádio-gravador,máquina fotográfica, livros, encartes de jornais, tintas, argila, giz de cera, grãos de cereais, cola e diferentes tipos de papéis.



ATIVIDADES:

Berçário I:
As recreadoras estimularam os bebês por meio de músicas, figuras, brincadeiras, etc, apresentando as frutas,legumes e verduras e repetindo seus nomes para que as crianças memorizassem e pudessem desenvolver a oralidade pelas tentativas de pronunciar os nomes dos alimentos.
Utilizaram tinta para fazer cartazes onde imprimiram as mãozinhas dos bebês formando figura de alimentos e uma grande mamadeira.

Berçário II:
Os bebês foram estimulados,como no berçário I,por meio de músicas, figuras,brincadeiras e historinhas. As recreadoras apresentaram figuras e legumes, frutas e verduras ao natural, para que as crianças pudessem visualiza-los e ao mesmo tempo ouvir e tentar repetir os nomes dos alimentos. Também foram colocados pratinhos com cenoura e batatas cruas picadas para que as crianças escolhessem e levassem à boca para sentir o sabor desses alimentos. Fizeram também cartazes de frutas legumes e verduras onde imprimiram os dedinhos dos bebês com tinta guache.

Maternais I:
Durante todo projeto as recreadoras contaram histórias, cantaram músicas, fizeram trabalhos de recorte e colagem com encartes de supermercados e aproveitaram os horários de refeição para desenvolver o tema. Utilizaram tintas e vários tipos de papel para fazer composições que resultaram em cartazes. Também fizeram carimbos de legumes para que as crianças imprimissem tinta guache e apresentaram DVDs referentes ao tema.
A creche possui uma pequena horta que foi visitada pelas crianças, enquanto as recreadoras conversavam sobre as plantinhas que nos servem de alimento.



Maternais II:
Os recreadores desenvolveram atividades onde as crianças reconheceram os alimentos, conversaram sobre a importância da alimentação saudável, utilizando uma linguagem acessível. Fizeram atividades em que as crianças puderam degustar alimentos e reconhecer as diferenças entre doce, salgado, azedo, amargo. As crianças foram levadas até a horta, colheram folhas e fizeram colagens, compondo uma grande “salada”. Também simularam um supermercado e uma feirinha. Modelaram vários alimentos utilizando argila e coloriram com tinta guache. Aprenderam músicas, histórias, fizeram cartazes, assistiram DVDs sobre o tema. Também foram estimuladas a falar sobre o assunto.

Todos os maternais ouviram a história “Amanda no País das vitaminas” de Leonardo Mendes Cardoso, Ed. Brasil e depois falaram ao rádio-gravador sobre suas preferências alimentares. Depois ouviram as suas próprias vozes com suas falas. Também assistiram ao clipe
com a propaganda protagonizada por eles sobre a alimentação saudável.




CULMINÂNCIA:

• Exposição de trabalhos das crianças;
• Apresentação de coreografias com as crianças caracterizadas com máscaras de frutas e legumes e aventais;
• Distribuição de panfletos com o valor calórico de alguns alimentos e receitas de papas salgadas para bebês de 6 a 11 meses de idade;
• Distribuição de doce de casca de banana, apresentado como um tipo de alimentação saudável,alternativa e reciclada.



Autora/articuladora do projeto: Márcia Cristina Neves Reis